Curiosidades sobre o Nervo Facial
09/07/2020
Paralisia Facial em Crianças
09/07/2020
Mostrar todas

O OLHO na Paralisia Facial

O fechamento do olho está prejudicado na paralisia facial, atrapalhando a lubrificação e a proteção normal do olho. Isso gera um desconforto importante para o paciente e pode acarretar em lesão na córnea e propensão para infecções.

Os cuidados com os olhos são PRIORIDADE no tratamento da paralisia facial. Uso de colírios e gel lubrificante, é essencial para evitar uma lesão grave como a úlcera de córnea. Os pacientes precisam ser acompanhados e informados dos cuidados e dos sinais de alarme.

Úlceras de córnea em olho do lado paralisado coradas pelo pigmento no exame oftalmológico.

PESO DE OURO

O peso de ouro é uma plaquinha de ouro absoluto colocado cirurgicamente na pálpebra superior de pacientes que não tem função de fechamento do olho após a paralisia.

É uma estratégia para ajudar a pálpebra superior a fechar com ajuda da gravidade mediante a ação do peso relaxando o músculo elevador da pálpebra.

É realizado o teste no consultório com os diversos pesos até determinar o mais adequado.

Em alguns casos pode ser necessário aumentar o peso por hiperatividade do elevador da pálpebra. Outros casos, depois de cirurgias de reinervação, há um retorno da atividade do músculo que fecha o olho e o peso pode ser retirado.

Peso de Ouro confeccionado para a paciente acima depois do teste

SUSPENSÃO DA PÁLPEBRA INFERIOR

A pálpebra inferior pode estar tracionada inferiormente pela flacidez causada pela paralisia. Em pacientes que já possuem uma flacidez por características genéticas ou pelo envelhecimento, essa alteração fica muito intensa somando com os efeitos da paralisia. Há casos que a pálpebra inferior se “descola” do olho, piorando a exposição e com alto risco de desenvolver úlceras de córnea.

Exposição excessiva pela incapacidade de fechar o olho e pela flacidez da face tracionando a pálpebra inferior

Muitas vezes a cirurgia de reposicionamento da pálpebra inferior exige a combinação de múltiplas técnicas, como a necessidade de um enxerto de cartilagem, a tração do ligamento lateral da pálpebra, a tarsorrafia lateral, sling de fáscia, entre outras.

Se houver uma flacidez importante da face e bochechas, é importante combinar a cirurgia da pálpebra inferior com a suspensão da face, para evitar uma tração para baixo das estruturas. Veja mais – Lifting Facial

REANIMAÇÃO PALPEBRAL

            Nos casos de paralisia flácida definitiva, o olho pode incomodar e piorar com o tempo. Com o envelhecimento, há o aumento da flacidez e piora a qualidade da lágrima. Isso muitas vezes descompensa o olho durante a evolução das paralisias com os anos. Alguns pacientes também podem ter alergia ao peso de ouro, necessitando sua remoção.

            É fundamental realizar o acompanhamento periódico com oftalmologista, que busca ativamente a presença de ulcerações na córnea usando um corante amarelo no exame físico.

            Existe uma cirurgia que busca levar o movimento do lado normal para o lado paralisado nestes casos. Essa cirurgia é em dois tempos e usa enxertos de nervo que levam os impulsos de ramos do lado normal para o lado paralisado. Num segundo tempo cirúrgico é realizado o enxerto de músculo nas pálpebras acometidas que será reinervada pelos enxertos de nervo transferidos previamente.

NEURÓLISE SELETIVA E CROSS FACE

            Casos com Sincinesia que acometem o olho podem se beneficiar com as cirurgias que modulam a informação dos nervos que vão para as pálpebras.

            A informação precisa ser filtrada (neurólises e neurectomias) para evitar movimentos em massa e, às vezes, é preciso levar a informação do lado normal para ter um movimento mais coordenado e espontâneo.

Sincinesia grave à esquerda com oclusão total do olho ao elevar a sobrancelha.

Gostou do conteúdo deste artigo? Acompanhe o Instagram@paralisiadeface – e também inscreva-se no canal do YouTube da Dra. Rachel Baptista para novidades sobre Paralisia Facial.

Dra. Rachel Baptista
Dra. Rachel Baptista
Rachel Baptista é formada e pós-graduada pela USP, com especialização e experiência reconhecida nos maiores centros de reconstrução plástica do mundo. Participação nas reconstruções de face e membros mais importantes do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CONTATO
×