A cirurgia de descompressão do nervo facial causa Sincinesia?
18/06/2020
Síndrome de Ramsay Hunt
23/06/2020
Mostrar todas

Paralisia de Bell

O que é a Paralisia de Bell?

Você sabia que a paralisia de Bell é a causa mais comum de paralisia facial periférica no Brasil e no mundo?

A paralisia de Bell é a causa mais comum de paralisia de face em adultos (cerca de 75% dos casos), acometendo cerca de 20-30 pacientes a cada 100 mil pessoas por ano.

A faixa de idade mais acometida está entre 15 a 45 anos e há uma maior incidência em mulheres no final da gestação.

O nome Paralisia de Bell tem origem no médico anatomista e cirurgião Sir Charles Bell, que descreveu os primeiros casos de paralisia facial e descobriu o Nervo Facial.

Qual é a causa da Paralisia de Bell?

Desconhecido vilão da Paralisia Facial.

A paralisia de Bell é uma paralisia de causa idiopática, ou seja, não se sabe exatamente a sua origem.

Sabe-se que há um processo inflamatório neural que gera um inchaço no nervo, comprimindo-o dentro do seu trajeto no osso da mastóide.

Acredita-se que seja uma reativação do vírus herpes tipo 1, que se encontra latente no gânglio geniculado do nervo facial, causando a inflamação e consequente paralisia.

Outros vírus também já foram relacionados, entre eles, o Influenza e alguns vírus de infecções de vias aéreas. Geralmente, algumas situações que diminuem a imunidade também estão associadas.

Quais os sintomas da Paralisia de Bell?

Fique atento ao seu rosto! Reconheça os sintomas além da paralisia da musculatura.

A Paralisia Facial de Bell é normalmente uma paralisia unilateral de início abrupto, geralmente sem sintomas de alarme. O quadro pode começar mais sutil e piorar nas primeiras 72h.

Principais características da paralisia facial.

O paciente refere um desconforto no olho com dificuldade de piscar, além dificuldade na fala e para se alimentar. Alguns pacientes apresentam dor no ouvido, alteração do sabor dos alimentos e intolerância para sons altos.

A incapacidade de fechar o olho no lado paralisado é uma característica marcante.

Cerca de 1% dos pacientes podem ter o quadro bilateral, extremamente raro.

Como é feito o diagnóstico da Paralisia de Bell?

Tratamento imediato e precoce é importante.

O paciente com paralisia facial deve procurar atendimento imediato no pronto-socorro.

Muitas vezes o paciente acredita que a causa da paralisia é uma AVC (derrame), mas na maioria das vezes esse diagnóstico e facilmente afastado pelos sintomas, quadro clínico e exame neurológico.

A paralisia de Bell é um diagnóstico feito por exclusão, pois sua exata causa não é ainda conhecida.

Alguns exames são solicitados e os pacientes são referenciados para acompanhamento médico com um otorrino ou neurologista para prosseguir a investigação e o acompanhamento dos pacientes.

Qual é o tratamento inicial da Paralisia de Bell?

O objetivo do tratamento é controlar a inflamação para minimizar a compressão e a lesão do nervo. Quanto mais precoce e idealmente dentro das primeiras 72h, o tratamento tem mais chance de funcionar. Depois desse período, a lesão está determinada com baixa resposta ao tratamento medicamentoso.

O principal tratamento é com corticoides, que são potentes anti-inflamatórios. O uso de antivirais não é um consenso em todos os casos, mas muitas vezes prescritos.

Já no início o cuidado com o olho é fundamental! Na paralisia o piscar está lentificado e muitas vezes o olho não fecha. O uso de colírios e géis lubrificantes, além da oclusão do olho, são importantes para proteger o olho exposto.

Geralmente, os pacientes são referenciados para um especialista na reabilitação da paralisia de face, como fisioterapeutas e fonoaudiólogas, para acompanhamento e ajudam a manejar a face flácida e a retomar a coordenação.

Quais são as chances de recuperação da Paralisia de Bell?

O tempo nos traz muitas respostas na paralisia facial.

Cerca de 70% dos pacientes com diagnóstico de Paralisia de Bell recupera espontaneamente dentro do primeiro mês da paralisia. Esses pacientes podem demorar alguns meses para melhorarem completamente.

Em 20 a 30% dos casos, a lesão do nervo é mais grave e, até ele atingir novamente a musculatura, pode demorar ente 3 a 8 meses dependendo do nível de lesão.

Os casos que não apresentam sinais de melhora depois de um mês da paralisia precisam de acompanhamento pelo risco de desenvolver sequelas.

Quais são as sequelas da Paralisia de Bell?

O tratamento das sequelas é especializado e demanda uma atenção especial aos detalhes de cada caso.

  • Contraturas musculares: encurtamento da musculatura da face com pronunciamento dos sulcos e elevação fixa da sobrancelha. Alguns pacientes referem dor nas áreas com contratura.
  • Sincinesias: quando uma parte se move involuntariamente quando realizado outro movimento.
  • Lacrimejamento ao se alimentar.
  • Lagoftamo paralítico: incapacidade do olho fechar totalmente por fraqueza muscular residual.
  • Ausência de movimento
  • Problemas psicológicos: ansiedade, depressão, baixa autoestima estão associadas à paralisia facial.

As sequelas têm tratamento e melhoram muito a qualidade de vida do paciente.

Quais são os fatores mais associados com o desenvolvimento de sequelas?

As chances de recuperação dependem de muitos fatores.

Um estudo que acompanhou 1364 pacientes com diagnóstico de paralisia de face de Bell avaliou fatores que se associavam com uma melhor recuperação da paralisia facial.

Fatores associados com uma MELHOR chance de recuperação:

  • Pacientes com menos de 40 anos
  • Fraqueza parcial da musculatura facial sem paralisia completa

Fatores associados com uma PIOR chance de recuperação:

  • Maiores de 60 anos
  • Hipertensão e diabetes descontrolados
  • Eletroneurografia (ENoG) com mais de 90% de degeneração axona
  • Eletroneuromiografia (EMG) com atividade espontânea anormal e fibrilações

FONTE: Yoo MC, Soh Y, Chon J, et al. Evaluation of Factors Associated With Favorable Outcomes in Adults With Bell Palsy. JAMA Otolaryngol Head Neck Surg. 2020;146(3):256–263. doi:10.1001/jamaoto.2019.4312

Quando procurar um especialista no tratamento das sequelas da Paralisia de Bell?

Preciso de ajuda para tratar as sequelas da paralisia. Quando posso começar?

  • Se a paralisia não recuperar depois dos primeiros 3 meses
  • Se a paralisia recuperar com Sincinesia
  • Se a recuperação for parcial com assimetrias
  • Se há dúvida no tratamento
  • INDEPENDENTE SE JÁ TEM PARALISIA HÁ VÁRIOS ANOS

Quais são os tratamentos das sequelas da Paralisia de Bell?

Melhorando a qualidade de vida e a autoestima dos pacientes que não se recuperaram totalmente.

Cada paciente tem características individuais que influenciam na decisão do tratamento. O padrão de reinervação ou a ausência total de movimentação também são importantes na avaliação do tratamento das sequelas da paralisia facial.

FUNDAMENTAL: Procure um especialista dedicado no assunto. Paralisia facial é uma doença complexa.

O tratamento é direcionado para cada problema:

  • Problemas nas pálpebras
  • Contraturas
  • Sincinesias
  • Paralisia Flácida

A Toxina Botulínica é uma grande aliada no controle do excesso de movimento e para acertar assimetrias mais discretas.

Sequelas com envolvimento de muitos músculos e mais graves podem se beneficiar de cirurgia.

Muitas vezes empregamos procedimentos estéticos em associação com a cirurgia reparadora para tratar flacidez de pele e musculatura residual e para reposicionar as estruturas.

O tratamento das sequelas traz qualidade de vida e autoestima para os pacientes com paralisia.

Gostou do conteúdo deste artigo? Acompanhe o Instagram@paralisiadeface – e também inscreva-se no canal do YouTube da Dra. Rachel Baptista para novidades sobre Paralisia Facial.

Dra. Rachel Baptista
Dra. Rachel Baptista
Rachel Baptista é formada e pós-graduada pela USP, com especialização e experiência reconhecida nos maiores centros de reconstrução plástica do mundo. Participação nas reconstruções de face e membros mais importantes do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CONTATO
×